1 de maio de 2007

Mais uma bela critica do João Lopes

Aqui está mais uma critica inteligente ... chego à conclusão que ainda há criticos com cérebro neste país! lol
E começo realmente a gostar deste João Lopes! :)
A tradição Tony Silva
1. Herman. Dos tempos herói-cos do Tony Silva até ao actual programa Hora H (SIC – noites de domingo), o mundo deu muitas voltas, o trabalho de Herman José também e não serei eu a pretender ter uma visão “única” sobre os seus altos e baixos (mal ou bem, escrevi muitas vezes, e em tons muito diversos, sobre esse trabalho). Em todo o caso, mesmo com desequilíbrios, Hora H confirma que Herman é um dos nossos criadores televisivos com uma visão mais ágil e mais inteligente sobre a televisão como fenómeno e, sobretudo, como linguagem.2. Linguagem. Figura modelar desse reino da “espontaneidade” que a televisão pretende ser, Herman tende a mostrar que... a espontaneidade não existe! Tudo é linguagem. Nos seus melhores momentos, os seus programas de humor fornecem-nos armas (perversas, sem dúvida) para lidarmos com as imposturas quotidianas da televisão. Depois de um arranque incerto e hesitante, Hora H está a encontrar o tom justo para o seu próprio projecto (obviamente reminiscente do saudoso Tal Canal): primeiro, foram secundarizadas as “derivações” menos interessantes (a personagem do “ucraniano” não encaixa neste universo e “bonecos” como o realizador brasileiro Edmilson Fitipaldi Filho carecem de potencialidades para aguentar muitas variações), sendo dada maior importância narrativa às situações que têm a ver com os programas do próprio canal de televisão (“Cnn”); depois, encontrou-se uma montagem cada vez mais ágil e contrastada; finalmente, têm surgido algumas magníficas personagens (por exemplo, o prof. Eduardo “Sabe” ou o entrevistado que acordou de um coma de 28 anos).3. Músicas. O episódio de ontem (29 de Abril) — com o homem do coma, o vulcão de Cracatoa, a bombista distraída, etc. — foi, claramente, o mais conseguido até agora, tirando o melhor partido dos talentos do elenco. Pela primeira vez, tivemos a sensação de um programa coeso, não de uma mera colagem de sketches (mais ou menos conseguidos). Os números musicais, na melhor tradição do Tony Silva, ilustram de forma exemplar o sentido criativo, a subtileza crítica e alegria do Hora H — de programas anteriores, aqui ficam alguns extractos encontrados no YouTube, incluindo o já clássico “Trio Admira-te”.

7 comentários:

Vítor disse...

Concordo plenamente com o que foi dito. O programa de ontem foi muito bem conseguído. O bombista distraído foi fantástico, principalmente na parte em que entra no gabinete do raposinho e ele pega na arma e dá o tiro.

Joana disse...

Sem dúvida !
Nem sabes como o Herman adora andar aos tiros! lol É muito tiroteiro !

Anónimo disse...

Então afinal a Maria Vieira voltou??

Joana disse...

Não voltou, eles é que já tinham aquele sketch grava à imenso tempo, calhou ser mostrado agora, veio no seguimento da piada da Chica Pardoca!

Unknown disse...

O Hora H está cada vez melhor. Eu sei que sou suspeito para dizer isto, mas como espectador assíduo do programa desde o 1º episódio tenho reparado na evolução do Hora H a todos os níveis. As alterações que fizeram na estrutura para combater o horário tardio dinamizou e muito o programa. As interpretações são excelentes. Os textos e as músicas estão muito actuais, mas o humor nos sketches consegue ser intemporal. Quase todas as semanas tem aparecido um sketch memorável: Helder Tachinho, O homem Estalinho, Homem que Acorda do Coma, Eduardo sabe, etc... O Hora H tem tudo para ter sucesso, infelizmente o horário tardio é um tiro no pé por parte da SIC.

Joana disse...

sem dúvida sócio, é um triste o tratamento que a Sic dá ao Hora H, enfim estou convencida que melhores dias estão a chegar, até porque, como me disse o Herman, o Hora H anda mesmo com um ritmo infernal ! :) E ninguém pára o Herman, e ninguém pára o Herman, ninguém pára o Herman allez ooohh!

Vítor disse...

exactamente, também acho que ela apareceu no seguimento da piada da chica pardoca, talvez para calar rumores de mau ambiente entre os dois.

quanto ao modo como a sic trata o hora h, já estou como alguém diz na "nova gente", esta quase a hora que estava o "levanta-te e ri".