10 de junho de 2007

HERMAN & BENNET

4 comentários:

Paulo Sempre disse...

A estandarização ou a esterotipia da linguagem por ditados «piadas» ou anexins traduz um tipo de saberes e uma forma de comunicação estagnadas (ou estabilizadas) e nada inventivas. Tudo se fazia e se repetia como tinha sido dito no passado, sob os auspícios e a memória dos «antigos». Porém, hoje as diferenças e os desvios instalaram-se, a mobilidade geográfica é um requisito e uma consequência do desenvolvimento; a escola arroga-se e é aceite como a única fonte dos saberes, as aldeias abriram-se ao mundo, os «mass-media» transformaram o universo numa grande aldeia. No entanto, e talvez por isso mesmo, a linguagem da sociedade urbana e «moderna» não é menos feita de estereótipos, de slogans e de spots publicitários, sendo em extremo repetitiva, estandardizante e rifoneira.
Vistas bem as coisas, somos levados a constatar, sem dificuldade nem favor, que só algumas pessoas têm a capacidade de levarem o sentido de humor a limites universais cuja rossonância «mexe», no bom sentido, nos «nossos» mais secretos silêncios, de modo a sentirmos o riso daí resultante a elevar-nos a patamares de emoções dificeis de «controlar» pois vislumbramos nelas uma imagem de nós magicamente favorecida. Uma dessas raras pessoas - capazes de nos fazer «vibrar» de tão "graciosas" emoções, chama-se Hermano José.

Obrigado por ter um blogue tão interessante. Hei-de voltar a este espaço.

Abraço
Paulo*

*Deste o Alentejo profundo, onde só as sinfonias das cigarras, por vezes, nos fazem rir na nossa humilde mas honrada sombra.

Joana disse...

Mas que belo comentário, se quiseres que o passe para o Herman diz, que ele responde-te!
Ainda bem que gostas do Blog
Beijos

João Pascoal disse...

Olá Joana

Deixa-me só ser o primeiro a dizer que o Hora H de hoje, 11/6, foi o mais brilhante de todos e a prova irrefutável que o Herman continua a ser o autor/actor capaz dos momentos de ficção intelectualmente mais elevados a que assistimos na nossa televisão.

Ágil, mordaz, crítico, com farpas certeiras e nonsense qb, o Hora H superou há muito o melhor que o Herman já fez em televisão.

Obrigado Herman e equipa, venham mais 30! :)

JP

Patrick disse...

Mas que belo comentário!

Quanto ao episodio de ontém foi mesmo genial! Aquela Nelly Furtado estava melhor do que a própria! lol Foi um dos momentos altos! Ganhamos mais uma "banda", desta vez as freiras, é impressionante que mesmo com a mesma melodia as musicas soam sempre a fresco e as letras são geniais! Chica Pardoca e Laurindinha mais uma vez provam ser um dos pontos altos do programa!